Celebração aos 4 sentidos

 Em Filmes para Leitura Clínica (Indicações), Filosofia Clínica

Texto
Na Filosofia Clínica, sensorial é o que se liga aos nossos sentidos e reações proprioceptivas.
O sensorial (parte primeira do tópico estrutural III), às vezes, pode ser um testemunho do que se passa no pensamento da pessoa (abstração, parte segunda do tópico estrutural III). Por exemplo: o rosto de uma pessoa indica se os pensamentos que ela tem são de esperança, surpresa, alegria, amor, como nos mostra o vídeo. E, há incontáveis outros exemplos que evidenciam o que vincula o sensorial ao abstrato.
Para a Filosofia Clínica, é possível que uma pessoa tenha vivências nas quais ela, ao mesmo tempo, terá experiências sensoriais e abstratas. Isso não constitui uma patologia (usando aqui um termo médico).
Sentir o aroma de um perfume e imaginar outras situações, como lembranças, pensamentos, ao mesmo tempo, é um exemplo.
Neste sentido, em Filosofia Clínica não existe um limite preconcebido de onde inicia e onde finda o corpo de uma pessoa.
A historicidade da pessoa, e em especial o que encontramos como corporeidade e suas definições, eis o critério de especificidade e de conformação quanto à corporeidade e suas ligações.
Assista ao vídeo que trata das relações dos sentidos que, neste caso, fazem a vida valer, um pequeno presente que o casal de filhos deu aos seus pais.

Indicação do vídeo:
Marcio José Andrade da Silva.
Professor do Centro de Filosofia Clínica de Campinas-SP
Publicação:
Pedro de Freitas Júnior.
Professor do Centro de Filosofia Clínica de Florianópolis e de Jaraguá do Sul. Especialista em Filosofia Clínica.
Texto:
Bruno Packter
Professor do Centro de Filosofia Clínica de Florianópolis e de Jaraguá do Sul. Filósofo Clínico.

Posts Recentes
Contate-nos

Aqui você pode enviar um e-mail.

Not readable? Change text.

Start typing and press Enter to search